Como escolher um chocolate saudável? O fato de ser 70% cacau ou amargo é suficiente?

 Como escolher um chocolate saudável? O fato de ser 70% cacau ou amargo é suficiente?

ecolher-melhor-chocolate-saudavelTemos 10 dicas exclusivas e práticas para torna-lo um especialista em chocolate amargo/saudável e de alta qualidade.  Mas antes de chegar à lista, precisamos que entenda alguns processos que fazem um grande diferencial na saudabilidade e qualidade do chocolate. Processos que as grandes industrias odiariam que soubesse e a mídia convencional não divulga para satisfazer seus patrocinadores multimilionários. Mas como a internet é muito mais livre e democrática, este conhecimento chega até você e agora pode ajudar alcançar muito mais gente com sua contribuição, compartilhe!

Em chocolate a prioridade é que observe primeiro os ingredientes ao invés da tabela nutricional. Pela legislação brasileira a ordem dos ingredientes tem ser decrescente: Começa dos produtos com maior quantidade para o de menor quantidade. Se não começar com massa de cacau ou cacau em pó, na verdade é um “doce de cacau”, já que tem mais açúcar que o suposto autor principal.  Se a lista de ingredientes for semelhante a uma bula de remédio ou muito extensiva – não é saudável – afaste-se do chocolate. A quantidade de ingredientes é fundamental, quanto MENOS, MELHOR.

As grandes indústrias não têm acesso a amêndoas de cacau de qualidade porque demandam grandes volumes, sendo assim, colocam muitos ingredientes para mascarar as propriedades organolépticas (cheiro, sabor, cor..) da amêndoa de cacau com qualidade muito inferior. Eles não colocariam muitos ingredientes para aumentar a complexidade e o custo da sua receita à toa, mas porque precisam mascarar o mau cheiro, sabor e o odor de suas amêndoas.  Os grandes fabricantes compram a massa de cacau ou cacau em pó da indústria moageira e esta compra cacau em altos volumes dos fazendeiros, intermediários ou importados da África (vamos falar destes mais adiante na dica número sete).

Precisamos entender também que o percussor do sabor do chocolate acontece na fazenda com tratamento especial que é dado desde a colheita até a fermentação das amêndoas. Para não se prolongar muito nesta etapa, já que o objetivo do texto é dar dicas práticas, basta entender que o equivalente ao tipo 1 do cacau é chamado de cacau fino ou especial, onde fazendeiro escolhe os melhores frutos, faz uma maturação e fermentação respeitando as peculiaridades de cada espécie do cacau.  Apenas poucas fazendas conseguem atingir este nível de expertise e isso é uma enorme diferença de qualidade em comparação ao cacau comum usado pela indústria moageira, fornecedora de pasta de cacau ou pó para as grandes produtoras de chocolate. As grandes empresas não se interessam por cacau fino por causa da diferença de preço e as fazendas produtoras não conseguiriam atender seu grande volume de processamento.

Já na fábrica é necessário entender o processo “from bean to bar” (da amêndoa até a barra), significa que o fazendeiro não trabalha com intermediário (indústria moageira), ele mesmo faz a moagem das suas amêndoas, o que concede a ele poder de controlar a qualidade da sua principal matéria prima. Comprando amêndoa de cacau fino, já tem grandes chances de fazer um chocolate de qualidade, já que não há processo industrial que conserte os erros de uma amêndoa mal fermentada, contaminada, manchada ou deformada, o que só pode ser resolvido na fazenda. As fábricas que optam por este processo normalmente utilizam o moinho de pedra chamado de melanger e não precisam acrescentar outra tipo gordura já que a própria amêndoa de cacau contém 50% de manteiga natural. Outro grande diferencial, já que as grandes fábricas substituem a manteiga do cacau por gorduras hidrogenadas muito mais baratas. Segue foto do melanager modelo Spectra 11 logo abaixo, máquina mais utilizada aqui no Brasil.

Melanger Spectra 11 Moinho de Pedra para Produção de Chocolate
Melanger – Moinho de Pedra
Máquina para produção de chocolate da amêndoa até a barra.

 

Agora que já conhece um pouco do processo, pode entender melhor as dicas exclusivas e prática para escolher um chocolate de boa qualidade e saudável:

  1. Como objetivo é qualidade e saudabilidade, a primeira dica não poderia ser diferente que a analise dos ingredientes, quanto MENOS, MELHOR. Lembrar de verificar a ordem também, os ingredientes com maior quantidade vêm primeiro na lista.
  2. Na busca de um chocolate saudável é muito importante observar o tipo de adoçante utilizado, só aceite no mínimo um açúcar mascavo. Não há porque utilizar um açúcar refinado com tanta solução saudável no mercado como o açúcar de coco, eritritol e o xilitol.
  3. A lecitina de soja é um emulsificante que não é necessário para produção de chocolate, apesar de ser amplamente utilizado pela grande maioria das marcas. Como sabemos, quase toda soja do mercado é transgênica, então livre-se dela.
  4. Quanto maior a concentração de cacau, menos margem para mascarar um cacau de má qualidade. Sendo assim, prefira chocolate acima de 60%. Sua alta concentração também é proporcional a quantidade de antioxidante, acima de 70% fica ainda melhor. E para os fortes, já existe opção de chocolate 100% cacau.
  5. Opte por chocolate que foi produzido a partir da amêndoa de cacau, utilizando a sua própria manteiga natural que é benéfica para sua saúde. Processo que chamamos de “from bean to bar” – “da amêndoa até a barra”. O chocolate produzido com massa de cacau ou cacau em pó (massa desengordurada – sem a manteiga – única forma de cacau virar pó já que é uma amêndoa oleaginosa) tem qualidade inferior e dá margem ao fabricante substituir a manteiga por uma mais barata e que faz mal para saúde.
  6. Os melhores chocolates tendem a divulgar a origem das suas amêndoas no seu rótulo com a informação geográfica da fazenda. Se o fabricante não sabe sua origem, também não pode certificar sua qualidade. Lembre-se que não há processo industrial que corrija os erros gerados na fazenda, o máximo que conseguem é maquia-los com o acrescimo de vários ingredientes indigestos.  A indústria moageira processa toneladas de amêndoas por dia e não há como obter o mesmo padrão de qualidade de diversas origens, compra de qualquer intermediário ou importa o cacau africano. Se a marca do seu chocolate preferido tem este tipo de indústria como fornecedora, repense o que está comendo.
  7.  Evite o cacau africano se não quiser ser conivente com exploração de mão de obra infantil. Prática comum nos países africanos. Sem falar da qualidade duvidosa das suas amêndoas, são reconhecidas como as piores do mundo.
  8. Evite chocolate produzido com cacau importado, não é possível saber que tipo de processo de fumigação foi submetido. Todo cacau que entra no país passou por este processo químico para eliminar contaminantes ou organismos vivos que supostamente possam vir com as amêndoas. Mas um motivo para querer saber a sua origem.
  9. É preferível que opte pelas opções orgânicas. Assim vai poder evitar os terríveis pesticidas.
  10. Se o chocolate tiver mais de três ingredientes que pelo menos sejam naturais, sendo orgânicos melhor ainda.

Podemos citar um exemplo prático de chocolate de qualidade e saudável?

Sim e com muito prazer.  Podemos demonstrar o chocolate do Planeta Cacau que utiliza o processo “from bean to bar”, utilizando amêndoas de cacau finas e especiais da sua própria fazenda orgânica, com poucos ingredientes e saudáveis (cacau cru orgânico e fino, açúcar de coco e óleo de coco extra virgem orgânico), adoçado com açúcar de coco com baixo índice glicêmico e tudo isso produzido sob baixa temperatura para manter nível de antioxidante mais alto possível. Este é o link do chocolate cru e orgânico da Planeta Cacau: http://www.dietacrua.com.br/chocolate-funcional-70-cacau-cru-organico-e-gourmet-156g-planeta-cacau-p4/

Quais as melhores marcas de chocolate amargo 70%?

Todas estas marcas utilizam o processo “from bean to bar”, da amêndoa até a barra, e são considerada os melhores chocolates amargos brasileiros. Lógico que cada um traz sua peculiaridade e cabe ao leitor decidir quais destas melhor atendem suas expectativas.

  • Planeta Cacau – Produz chocolate a partir de amêndoas de cacau fino, cru (produção abaixo de 42ºc) e orgânico. Cultivado sob a mata atlântica em regime de cabruca – método de cultivo que ajuda a preserva as árvores de grande porte. Sua moagem é com moinho de pedra – Melanger.
  • AMMA Chocolate – Produz chocolate a partir de cacau fino e orgânico. Também cultivado sob a mata atlântica em regime de cabruca.

Por favor, compartilhe! Não precisamos ficar reféns dos interesses das grandes industrias moageiras ou produtoras de chocolate commoditie.

Qual a marca de chocolate da sua preferência? Já observou seus ingredientes? Eles produzem a partir da amêndoa ou compram massa cacau da industria moageira? A origem da amêndoa é informada no rótulo? Vamos interagindo e tirando nossas dúvidas.

Avatar

Outros

Textos retirados da web, sites, blogs e produzidos por parceiros.

Leia também...

8 Comentários

    Avatar
  • Muito bom.

  • Avatar
  • Aqui na cidade de Niterói, existe alguma loja que venda chocolate Planeta Cacau?

    Desde já obrigada

  • Avatar
  • Como usar o cacau cru, para uma receita de bolo de chocolate? Como
    Usar no dia a dia?

      Avatar
    • Depende muito como queira usar, se é para diluir na receita o melhor é chocolate 100% cacau cru. Se for para dar crocância o ideal é nibs de cacau cru. Lógico que recomendamos a melhor marca do Brasil – Planeta Cacau.

    • Avatar
    • O processo seria o mesmo de utilizar o chocolate comum. Basta substitui o comum pelo cru.

  • Avatar
  • Gostaria de saber se o chocolate da marca arcor 70 por cento chocolate e saudável?

      Avatar
    • Boa tarde Irene, de forma alguma. Veja seus ingredientes: “Massa de cacau, açúcar, manteiga de cacau, cacau em pó, cacau em pó alcalino, gordura vegetal, emulsificante lecitina de soja e aromatizante.” Tem outras gorduras, usa massa de cacau ao invés de amêndoa integral e também tem soja na lista dos seus ingredientes. Sabemos que a maioria da soja do mercado é transgênica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *