A linhaça é um alimento funcional?

 A linhaça é um alimento funcional?

A linhaça possui ômega 3, lignanas e fibras. Esses elementos presentes na linhaça possuem relação com redução de doenças cardiovasculares, aterosclerose, diabetes, câncer, artrite, osteoporose, dentre outras complicações.

Podemos encontrar a linhaça basicamente na forma de semente/grão, farinha ou óleo. Em termos de aproveitamento do ômega 3, o óleo de linhaça pode ser uma ótima opção. Em seguida – a nível de melhor biodisponibilidade/aproveitamento do ômega 3 -, vem a linhaça moída/triturada (farinha); e depois a semente íntegra. Por isso, se for comprar a linhaça em grãos, a dica é triturar antes de consumir.

Quanto às lignanas, elas atuam como antioxidantes e fitoestrógenos (esses, têm uma ação estrogênica no corpo humano). A nível de saúde, isso pode trazer benefício protetor contra o câncer (particularmente de mama, próstata e endometriose).

Por ajudar na redução da inflamação – até por conta do ômega 3 que possui -, pode trazer alívio nos sintomas da menopausa e também aliviar dores. O que também ajuda a explicar o auxílio benéfico da linhaça nesses casos, pode se dar pelo fato dela ajudar na produção de serotonina: uma substância que gera sensação de bem-estar.

Em 100 g da semente de linhaça, há 28 gramas de fibras; sendo, a maior parte, a fibra do tipo insolúvel. Essa fibra insolúvel possui um ‘’efeito laxativo’’, cujo auxilia a evitar a constipação (‘’intestino preguiçoso’’); e, por conta desse mecanismo, atua na prevenção do câncer de cólon.

Há basicamente duas variedades de linhaça: a marrom e a amarela/dourada (quanto ao aspecto nutricional, as duas são similares). A linhaça tem também uma boa quantidade de magnésio, zinco, ferro, vitamina B9, cálcio e potássio.

Por conta de todas essas propriedades e benefícios, a linhaça é considerada um alimento funcional. No dia a dia, a linhaça ou o óleo de linhaça podem ser adicionados em alimentos cozidos, sucos, leite e seus derivados; enfim, há uma ampla possibilidade de uso.

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Goyal A, et al. Flax and Flaxseed Oil: An Ancient Medicine & Modern Functional Food. Journal of Food Science and Technology, 2014.

Avatar

Henrique Lima

https://www.youtube.com/channel/UCLS-udF3quRKFcnQTpjmrRw

Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Contato: henrique-nutricionista@hotmail.com

Leia também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *